segunda-feira, 19 de maio de 2014

Colonia del Sacramento: Bairro Histórico

E aí galera!

No último post, vimos como fechar o passeio para Colonia del Sacramento partindo de Buenos Aires. Escolhemos a empresa Buquebus para fazer a travessia do Rio da Prata e chegarmos na cidade uruguaia. Hoje, vamos mostrar o que Colonia tem a oferecer e o que vimos por lá. Afinal, por que o interesse em conhecer essa pequena cidade do sul do Uruguai?

Pórtico do Bairro Histórico

Colonia del Sacramento, diferente da esmagadora maioria das cidades da América Latina que possuem colonização espanhola, foi fundada por portugueses em 1680. Depois de uma série de eventos históricos, a região passou por domínios de Espanha, Portugal e Brasil até finalmente ser incorporada ao Uruguai, quando este declarou sua independência, em 1828. Todas essas culturas contribuíram para a atual cidade, o que já a torna bem especial, tanto que é declarada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade.

A Basílica do Santíssimo Sacramento, símbolo da cidade.

Depois dessa pequena aula de história, vamos à cidade. Como dissemos no post anterior, não compramos a integração do Buquebus que dava direito a um ônibus em Colonia. Como só teríamos um dia na cidade, decidimos focar no que a cidade tinha de mais importante ao invés de passar voado pelos pontos de interesse num ônibus. Isso foi bom e ruim. Bom por que focamos a visita no Bairro Histórico, que é lindo demais, e ruim por que fizemos uma boa caminhada desde o porto até lá – saindo do porto pela esquerda, quase 1 km pela Calle Odriozola, por onde passamos por um Centro de Informações Turísticas e nos municiamos de mapas (que ajudaram MUITO). Pra quem preferir, no porto, há aluguel de carros elétricos e motos. Não se esqueça de trocar alguns pesos uruguaios para qualquer emergência (não precisa ser muito, acho que uns R$50 por casal é suficiente, já que muitos estabelecimentos aceitam pesos argentinos e até reais).

Cada ruela do Bairro Histórico tem uma surpresa...

Ao final da Calle Odriozola, já damos de cara em uma das muralhas que protegiam Colonia e, entrando numa ruela à direita, chegamos ao imponente pórtico do Bairro Histórico, onde efetivamente começava o passeio. As casas coloniais, as ruas em paralelepípedo, calçadas floridas e sua principal praça, a Plaza Mayor, se misturam com ruínas antigas, num visual muito legal. Tudo muito limpo e bem cuidado.

Dentre as atrações do Bairro Histórico, podemos destacar a Galeria de los Suspiros (uma rua com diversas galerias de artesanatos, que termina de frente pro mar, e que reza a lenda quem sobe e desce a rua três vezes nunca mais terá problemas amorosos!), a Plaza Mayor, o Museo Portugues e a Basílica del Santíssimo Sacramento.

Subindo e descendo a Galeria de los Suspiros...

Mas talvez o grande símbolo da cidade seja mesmo o Faro de Colonia del Sacramento, um lindo farol que dá visão do mar e de todo Bairro Histórico (pela bagatela de 15 pesos uruguaios). É uma boa subida, mas vale a vista. Mas não se limite a esses pontos: as pequenas ruas do Bairro Histórico guardam algumas surpresas bem legais.

O Faro de Colonia del Sacramento...

...as curtas escadarias...

...e um pouco do visual lá do alto!

Nosso almoço foi na Pulperia de Los Faroles, na Plaza Mayor, ao som dos pássaros que tomam a praça e regada a cerveja Patricia, uruguaia. O restaurante tem diversas opções de massas e, claro, carnes, muito bom – apesar de um pouco demorado. Como informado antes, eles aceitam todo tipo de cartão de crédito e até mesmo reais ou pesos argentinos. Bem próximo ao Farol, há um Freddo pra quem quiser descansar depois do passeio.

 Pulperia de Los Faroles, uma ótima opção para almoçar.

Ao final da tarde, voltamos ao porto e, de lá, para Buenos Aires. A dica da ida também vale pra volta: chegue com alguma antecedência, por que os trâmites burocráticos demoram mesmo!


Nossa viagem para Buenos Aires está chegando ao fim. No próximo post, nosso último testemunho sobre a capital argentina (até que voltemos lá)!

Partiu!