sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Dubai e Abu Dhabi: Informações Básicas

E aí galera!

Depois de nossa viagem para Assunção, que aconteceu mais por uma oportunidade do que por um desejo antigo (e nem por isso deixou de nos surpreender), nosso próximo destino foi os Emirados. A gente nunca tinha saído das Américas: México, Panamá, Uruguai, República Dominicana, Argentina e Paraguai já tinham nos recebido e, literalmente, precisávamos voar pra mais longe, ver coisas que nunca tínhamos visto antes. Foi assim que decidimos fazer as malas e partir lá pro outro lado do mundo, conhecer os Emirados Árabes Unidos.

Bem-vindos aos Emirados!

Não ficamos malucos: o país asiático, que você pode não ter reconhecido pelo nome, possui duas das cidades mais modernas do planeta. Dubai e Abu Dhabi são bem conhecidas mundo afora e são dois exemplos de desenvolvimento sustentável a partir da riqueza oriunda da exploração de petróleo. Um país novo, num continente novo, com uma religião diferente... Como toda nova pátria que visitamos, fizemos um post com as informações básicas pra quem nunca foi e pretende ir pra lá (ou apenas saber o que rolou na viagem). Vamos lá?

Os Emirados Árabes Unidos

Localizadas no Oriente Médio, Dubai e Abu Dhabi são duas monarquias soberanas das sete que formam o país Emirados Árabes Unidos (EAU). Sharjah, Ajman, Umm Al-Quwain, Ras Al-Khaimah e Fujairah são os outros reinos, que atuam unidos como uma confederação. A capital dos EAU, diferente do que muitos pensam, não é Dubai - que é a maior cidade, com mais de 2 milhões de habitantes - mas sim Abu Dhabi. Donos da sexta maior reserva de petróleo do planeta, os Emirados possuem uma das mais desenvolvidas economias da região. O país faz fronteira com Omã ao leste, Arábia Saudita ao oeste e sul e tem saída pro Golfo Pérsico ao norte, além de ficar bem pertinho do Qatar.

O principal cartão postal de Dubai: o hotel Burj Al Arab

Dubai é considerada uma cidade cosmopolita, já bastante ocidentalizada, de modo que os rígidos costumes muçulmanos não são tão exigidos assim. Já a capital Abu Dhabi, a pouco mais de uma hora de carro de Dubai, é considerado um emirado mais tradicional, apesar de também ostentar muita modernidade. Existem muitos estrangeiros nas duas cidades, a maioria saindo de sua pátria para trabalhar em uma das milhares empresas do ramo petrolífero que atuam no país. Levaram família e acabaram ficando por lá. Não os culpo: a qualidade de vida é incrível.

A viagem fica ainda mais curiosa justamente pelo prazer dessas cidades de ostentarem. Praticamente todo dia você conhece alguma coisa que "é a maior o mundo", ou "mais caro do mundo", e por aí vai. O maior prédio do planeta fica em Dubai. O maior parque temático indoor em Abu Dhabi. Isso só pra falar dos principais.

Os enormes arranha-céus são a marca registrada de Dubai e Abu Dhabi

Os Emirados Árabes, apesar de terem grandes reservas petrolíferas, praticamente não possui água. Toda, sim, TODA água utilizada no país provém de dessalinizadoras de água do mar, que estão espalhadas por grande parte da costa. Desde a água que você toma banho até a que você bebe. Mas sem medo: esse processo garante água de altíssima qualidade. E mais: os esgotos de Dubai e Abu Dhabi são tratados e reutilizados para irrigação das enormes áreas verdes, que quase te fazem esquecer que você está no meio do deserto. Sensacional! Apenas mais uma mostra do que são os Emirados, esse país onde o impossível parece sempre ser possível.

Documentação

Os EAU exigem visto para a entrada de brasileiros. Diferente do que estávamos acostumados, o visto para os Emirados Árabes não é emitido diretamente de um consulado. O documento é emitido via um patrocinador, ou sponsor. É esse cara que será seu "responsável" durante a viagem. Qualquer organização nos Emirados pode emitir o documento, mas fique tranquilo: as principais empresas aéreas do país, Emirates e Etihad, mediante o pagamento de uma taxa (varia de acordo com o sponsor: a Emirates cobra US$90 para o visto de turista para até 30 dias), podem emitir o documento. Hotéis de Dubai e Abu Dhabi também podem ser seu sponsor. Enfim, não será um problema.

Modelo do visto pros EAU

A recomendação é levar seu visto em meio físico e, se possível, também em meio eletrônico no seu celular, por exemplo, pro caso de você perder o papel. Ao chegar nos Emirados, ainda no aeroporto, vão finalmente carimbar seu passaporte. Pronto, você está livre para explorar.

ATUALIZAÇÃO (21/03/2017): Novidade! O Brasil acaba de assinar um acordo com os Emirados Árabes que nos isentam de visto para entrar no país. Leia mais AQUI.

Idioma

O idioma oficial dos Emirados é o árabe. Evidentemente que não procuramos um cursinho antes da viagem, já que o inglês, garantido pelo sistema de educação gratuito do país, é falado e entendido por praticamente toda população, desde os vendedores de rua até os grandes estabelecimentos comerciais. Então sem pânico (ou "no panic"). É claro que o forte sotaque (que faz lembrar o Raj, de The Big Bang Theory) dificulta um pouco, mas nada que impeça você de fazer nada.

Todas as lojas tem o nome em inglês e em árabe. Olha a Tommy Hilfiger!

Se para falar o idioma não é problema, para ler também não. Praticamente todos os cardápios de restaurantes, placas de trânsito, etiquetas de preços e guias são escritos tanto em árabe (letras praticamente incompreensíveis), quanto em inglês. Se você não confia muito no seu inglês, recomendamos o aplicativo de celular Word Lens, falamos um pouco dele AQUI.

Ah, se não te custar muito, tente aprender alguma coisa em árabe. Um "obrigado" (algo como "shukran") já deixa os locais bem felizes!

Moeda

O dirham (AED) é a moeda nacional. Por definição, o dirham sempre vale US$3,67. Dessa forma, sua conversão para o real depende da cotação do real para o dólar. Viajamos com R$1 = 1,5 dhs (cotação de Janeiro de 2015) então foi simples de converter de cabeça na hora das compras. O dirham é dividido em fils, ou seja, 100 fils equivalem a 1 dirham. Existem notas de 5, 10, 20, 50, 100, 200, 500 e 1000 dhs e moedas de 1, 5, 10 (essas dificilmente encontradas), 25, 50 fils e 1 dhs. As moedas nos assustaram no início, pois elas não possuem números (na verdade possuem, mas em árabe), mas aos poucos você vai reconhecendo.

A nota de 5 dhs e algumas moedas. Foto: Online Forex

Casas de câmbio podem ser encontradas em qualquer hotel ou shopping de Dubai e Abu Dhabi. Encontramos as melhores cotações nos shoppings. Aliás, a ostentação por lá é tanta que até caixas eletrônicos de barras de ouro podem ser encontrados (obviamente nada pro nosso bico). Muitos estabelecimentos aceitam dólares americanos normalmente.

Clima

Guarda-chuva ou capas de chuva são itens quase que absolutamente inúteis na sua mala. A média de dias chuvosos em um ano nos Emirados Árabes não passa de cinco ou seis. A melhor época para se viajar para lá, em relação ao clima, é no inverno, entre os meses de outubro e fevereiro, quando as temperaturas estão mais amenas (máximas de 30 e poucos durante o dia, e mínimas em torno de 15 durante a noite). No verão, as temperaturas podem facilmente ultrapassar os 40ºC (e beirar os 50ºC), o que inclusive faz com que certos passeios, como os voos de balão, não aconteçam durante essa época. Dizem ser insuportável, então evite essa época.

Mesmo no inverno, as temperatura são quentes mas agradáveis. Já no verão...

Como ligar

Caso precise ligar pro seu hotel lá nos Emirados daqui do Brasil, a sequência de números é:

00 + operadora + 971 (Emirados Árabes) + 2 ou 4 (Abu Dhabi ou Dubai) + número (7 dígitos)

Segurança

Caminhar de madrugada pelas ruas de Dubai ou Abu Dhabi é tão seguro quando fazê-lo ao dia. Apesar de avistarmos pouquíssimos policiais nas ruas, o clima é de segurança absoluta: as taxas de criminalidade nas duas cidades são ridículas - o que não quer dizer que nada aconteça por lá. Os cuidados são os básicos.

Aliás, dava até uma certa vergonha quando nos identificávamos como brasileiros, e ao invés de recebermos as tradicionais respostas como "Brasil! Carnaval! Ronaldinho!", tínhamos que ouvir "mas lá é bem perigoso, né?". Lembrando que estávamos no Oriente Médio.

Tomada

As tomadas nos Emirados utilizam um padrão de três pinos bem diferente do novo padrão que temos no Brasil: os três pinos são retangulares, e não redondos (tipo G). Foi um pequeno caos para carregarmos nossos celulares e câmeras durante a viagem, então recomendo a compra de um adaptador universal: um investimento que acaba com esse problema durante qualquer viagem. Nós tivemos que vasculhar o quarto atrás de uma tomadazinha com padrão mais comum e por sorte conseguimos encontrar.

Tomada tipo G. Foto: Viva com Beleza

Transporte

O metrô de Dubai atende praticamente todas as principais áreas da cidade e, pra quem quiser economizar, é a melhor opção. As estações são lindas. Se não atender o seu destino, os táxis estão a disposição aos montes. O grande número de vias expressas torna os deslocamentos mais distantes bem rápidos. Não chegamos a pegar ônibus por lá, mas é curioso como os pontos de ônibus são fechados, com ar condicionado e recheados de informações sobre as linhas. Pareceu uma boa opção também. Abu Dhabi também tem linhas de metrô, mas não chegamos a utilizar. Como acabamos só pegando distâncias curtas por lá, demos preferência pros táxis.

As estações de metrô de Dubai são enormes!

A pergunta que não quer calar: como se comportar por lá?

Pergunta recorrente de quem vai viajar para um país muçulmano, mas isso já é papo para o próximo post! Fiquem ligados no Check-In para dicas dessa grande viagem, que superou, de longe, todas as expectativas!

Ah, se quiserem conferir algumas fotos da viagem antes dos posts, dêem um pulinho em nosso Instagram! Procurem pela hashtag #CheckInNosEAU lá e também no Twitter!

Partiu!