segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Cancun - Dia 4: Parque Xcaret!

E aí galera!

Depois de uma noite bem curta de sono por causa do Cocobongo, partimos pro mais longo passeio do nosso roteiro: o parque Xcaret! Grazi e eu até que suportamos bem o cansaço, mas não fizemos o aconselhável. Novamente acordamos cedinho, tomamos nosso café da manhã e partimos de van para um shopping, onde encontramos as outras pessoas que iriam

ao passeio. Como o Álvaro não conseguiu juntar o número mínimo de pessoas para fechar uma van, ele terceiriza o transporte. Assim, o cliente faz o passeio quando ele quer sem depender de grupo fechado e o Álvaro não toma prejú. Mas sem alarde: o transporte é muito bom e conta com um guia que, durante todo translado, vai dando dicas sobre o parque e conta um monte de histórias. Não era o ideal pra quem tinha acabado de acordar de uma noite no Cocobongo, mas enfim. Partiu Xcaret!

- Xcaret
O parque é um enorme aquário natural que conta com uma série de atrações com bichos de todos os tipos (não só aquáticos) e, no final do dia, por volta das 19h, apresenta um grande show (grande também no sentido de tempo: 2 horas) sobre a história do México! A regrinha do protetor biodegradável também se aplica aqui. O passeio, como todos os outros, incluía tudo, mas também há algumas atrações extras. Nós resolvemos ir em uma delas: o Sea Trek, que nos custou por volta de U$49 por pessoa.O ticket deve ser comprado logo no início do parque, pois deve-se marcar o horário de cada um para fazer estes passeios opcionais.


Assim, deixamos nossos pertences nos armários (que por sinal é pequeno) e fomos andar pelo parque. Logo avistamos umas araras muito engraçadas e lindas, tiramos foto e elas faziam pose e tudo. Cada foto tirada pelos fotógrafos do parque custa a bagatela de US$13. Você tira a foto e, antes de ir embora, confere na saída se ficou legal e paga se quiser. Só que as fotos ficam tão boas que você acaba levando hehehe... Também antes do Sea Trek, demos um pulo no aquário do parque. Muito rico e com muita coisa legal, vale gastar um tempinho por lá.

O Sea Trek é o seguinte: colocam na sua cabeça um capacete de 33 kg (que dentro da água passa a pesar apenas 5 kg) e você entra na água por uma escada até uns 3 a 4 metros de profundidade. Há um tubo que manda o ar pro capacete e você caminha pelo fundo do mar como se estivesse andando em terra, guiado por um corrimão e vários mergulhadores de apoio. O que tem lá embaixo? Um MONTE de peixes de tudo que é cor e tamanho, ouriços, estátuas, plantas, muito bacana! O passeio dura meia hora, mais do que o suficiente pra curtir a experiência. Tem uma modalidade do passeio em que você encontra arraias, mas acabamos não fazendo. Pra quem é corajoso outro passeio opcional é o nado com tubarões... Vimos algumas pessoas fazendo e realmente os tubarões parecem calmos. Mas nós não tivemos essa coragem.



Logo depois dessa fantástica experiência, fomos almoçar. Neste parque há 4 restaurantes de diversos tipos e culinárias, porém preferimos comer no Restaurante La Laguna, que é o maior de todos e é comida internacional. Ou seja, tem todos os tipos de comida e sobremesa, de ótimas qualidades. Além disso, a bebida também é incluída.

Outras atrações para aproveitar depois do almoço, pra fazer a digestão é caminhar pelo parque, ir na área das borboletas, ficar na praia descansando.

Outra atração do parque é um longo rio subterrâneo que atravessa todo o parque. Você aluga o colete, snorkel e pé-de-pato e faz o nado pelas tranqüilas (e geladas) águas. Ficamos um pouco decepcionados com o rio pela pouquíssima quantidade de peixes – só os vimos bem no final – mas se quiserem relaxar um pouquinho pode ser uma boa. Você não é obrigado a nadar por todo o trecho, pode sair em vários pontos ao longo do rio. Saímos de lá, tomamos um banho, trocamos de roupa e partimos pro show! Como o parque estava muito cheio, resolveram fazer dois shows: um às 18h e outro às 20h. Como bons brasileiros malandros, fomos rapidinho e pegamos a primeira sessão.

No caminho para a Arena onde rola a apresentação, já aparecem vários atores

fantasiados pra alegria da galera que curte tirar fotos. Aconselhamos tentar chegar um pouco mais cedo na Arena pra pegar lugares, costuma ser bem disputado. Então começa o longo show, desde a história dos maias nativos até a formação do povo mexicano atual, passando pela cultura de todos os estados que formam o país. Não vou me ater aos detalhes, senão perde a graça hehehe... Também aconselhamos levar repelente, por que de noite a mosquitada aparece com força! O show é lindo e de muita cultura.

Na verdade, na próxima vez que formos a Cancun, acho que vale mais a pena pagar o jantar do show. Este é tratado como passeio opcional também, ou seja, deve ser comprado logo no

início do parque, até porque enche rápido, pois são poucos lugares. Este dia do Xcaret é bem provável que você não aguentará sair à noite por chegar muito tarde no hotel. Por isso, acredito que vale a pena, pois você assiste o show jantando e já chega no hotel pronto pra dormir praticamente. Como não foi nosso caso (chegamos por volta de 23h no hotel), compramos um lanchinho na delicatesse que tem no Hyatt e fomos pro quarto pro merecido descanso.
Afinal, no dia seguinte teria mergulho de cilindro em Cozumel!

Partiu!