domingo, 28 de agosto de 2011

Cancun - Dia 7: Parque Xel-Há e Bubba Gump!

E aí galera!

Bom, agora vamos ao nosso último passeio em Cancun! O plano inicial era o parque Xplor, que é mais visto como um parque de diversões, separado em quatro circuitos: Tirolesas, passeios na selva com veículos anfíbios, nado no rio subterrâneo e rafting. Parece ser maneiríssimo e, por isso, tínhamos muita vontade de ir. Entretanto, no dia anterior, já tarde da noite, eis que liga a Miriam (funcionária do Álvaro) e avisa que o parque não iria funcionar. Ficamos surpreendidos, porém, aceitamos e pedimos para trocar então pelo Xel-Ha. Depois o Álvaro nos contou que o Xplor não funciona aos domingos. Ou seja, fiquem atentos nisso! Gafe total, mas perdoados, pois todos os outros passeios deram certíssimo.

- Xel-Ha:
Fomos então, como último passeio, ao Xel –Ha. Apesar de muitas pessoas falarem que Xcaret e Xel-Ha são parecidos, salvo que o Xel-Ha é mais natural, e eles possuem enfoques diferentes. No Xel-Ha tem tirolesas, rio com grutas, pequenos cenotes, uma ponte flutuante (que liga de um lado ao outro do parque), bóias pra ficar nadando e descansando na água, etc. Mais uma vez vale a dica do protetor solar: sempre o biodegradável.

O interessante é que, em várias partes do parque, nas escadas pra descer pro mar, tem comida para peixes. Ou seja, você lota a sua mão de comida, e aí aparecem alguns peixinhos mais perto. Ah, o parque é imenso, e tem mosquitos, ou seja, é interessante levar repelentes. Há a opção de alugar bicicletas caso você não queira andar (ATUALIZAÇÃO: agora as bicicletas são liberadas!). Assim como o Xcaret, lá também tem diversas atividades opcionais que são pagas a parte e devem ser feitas e reservadas assim que você chega ao parque. Aproveitamos para fazer duas dessas atrações opcionais: Encuentro con Manaties e Encuentro con las Rayas.

O primeiro se trata de nadar e conhecer o Peixe-Boi (lá chama-se Manateé), no qual você tem a oportunidade de se aproximar a esta espécie dócil, aprender sobre sua biologia, seus costumes e modo de vida. Também pode abraçá-los, acariciá-los e até mesmo dar beijo e alimentá-los. Vale a pena por ser uma experiência bem diferente. Sinceramente, aonde você terá a oportunidade de ficar assim com esse bicho?! Este passeio custa U$69 por pessoa e tem duração de aproximadamente 30, 40 minutos, no qual consiste em 2 partes: Snorkel e nado com eles, e depois fica numa plataforma onde os guias explicam tudo sobre eles e você alimenta com frutas e alfaces. Podem ficar tranqüilos porque eles não têm dentes, e só comem isso.


A segunda atividade opcional foi o Encontro com as Arraias, que foi feita na parte da tarde, logo depois do almoço e também tem duração de aproximadamente 30 minutos. Neste passeio você tem uma oportunidade incrível de conhecer melhor sobre as arraias. O Guga estava bem receoso, e confesso que eu também tinha um medinho, mas decidimos fazer este passeio justamente para perder o medo e finalmente, ver e passar a mão numa arraia. Um guia foi nos explicando tudo, enquanto o outro trazia uma arraia enorme para perto de nós. Aos poucos, fomos passando a mão e perdendo o medo. Eles nos garantiram que não tinha perigo e que aquelas, estavam “sem” o ferrão. Até dar de comida na boca das arraias demos, pegamos no colo e tiramos várias fotos. Foi sensacional! Este passeio custa U$ 45 por pessoa.



Esse mergulho com as arraias – um semelhante - está disponível também no Xcaret. O que o pessoal do Xel-Ha diz ser o diferencial deles é que, como o parque está de frente pro mar aberto, as arraias estão soltas. Ou seja, elas só estão ali por que querem, não são presas, o que torna o passeio ainda mais interessante.

Pra quem for lá (e não for no Xcaret), também recomendo fazer outra atividade opcional que é o Sea Trek. É semelhante ao do XCaret (já falamos no 4º dia) e é muito interessante!

No Xel-Ha, todas as comidas e bebidas são incluídas, ou seja, pode beber tudo a vontade. Recomendamos comer no Restaurante Internacional de lá, pois tem de tudo.
- Noitada:
À noite, fomos jantar no Bubba Gump. É um restaurante temático inspirado no filme Forrest Gump e os pratos principais são principalmente a base de camarões. Nas mesas, plaquinhas com os dizeres “Run Forrest, Run!” e “Stop Forrest, Stop!” indicam se está tudo OK na mesa ou se o garçom deve dar um pulo lá, tudo num bom humor sensacional! Enquanto esperávamos um dos pratos, a garçonete fez um quiz com três perguntas sobre o filme conosco, foi muito engraçado.
Pedimos como entrada o Cajun Shrimp (bem picante, mas muito gostoso). Como pratos principais, pedimos o South of the Border Chipotle Shrimp, muito bom, recomendadíssimo! Para beber, pedimos o Lava Flow e o Delta Sunset. Quando pedimos essa segunda bebida, o garçom trouxe a coqueteleira pra mesa e gritou “Who let the dogs out?” e os outros garçons “Uh! Uh! Uh!” hahaha, foi demais. O mais legal das bebidas é que você ganha os copos novinhos na loja do restaurante (levamos uma taça de vidro muito legal e a coqueteleira). Aproveitamos e compramos mais umas coisinhas na lojinha deles. No fim, recomendamos muito o restaurante!


Voltamos pro hotel cedo (22:30h), pois tínhamos que preparar as malas pro dia seguinte. E foi assim que terminaram nossos dias em Cancun. No dia seguinte, logo cedo, já partimos pro Aeroporto, rumo ao Panamá! O saldo da viagem: as melhores férias das nossas vidas! Não fizemos várias coisas que queríamos (por falta de tempo) e ainda sim saímos de lá
satisfeitíssimos! Beleza, temos motivos pra voltar! =)

Partiu!