quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Buenos Aires: Tango no Esquina Carlos Gardel

E ai galera!

Basta falarmos de Buenos Aires (ou simplesmente da Argentina) pra vir aquela musiquinha na cabeça, com sons de violino e um casal finamente vestido, dançando tango. Assim como o samba brasileiro, o tango argentino é mais do que um traço cultural do país: tem muita história por trás do apaixonante ritmo portenho e não é surpresa que os espetáculos nas casas de tango de Buenos Aires sejam os passeios mais procurados pelos turistas. Na nossa primeira viagem para a Argentina, simplesmente não podíamos ficar fora dessa.

Esquina Carlos Gardel

Escolher uma entre as várias casas de tango de Buenos Aires não é tarefa fácil. São várias, com diversas propostas. Apesar de ter cara de “programa turistão”, queríamos um local onde víssemos o verdadeiro tango: de argentino para argentinos. Depois de muita pesquisa, escolhemos o Esquina Carlos Gardel (Carlos Gardel, 3200). O local é sugestivo: a casa de tango para 500 pessoas funciona onde era o Hotel e Restaurante Chanta Cuatro, um dos pontos mais visitados por Gardel na era de ouro do tango em Buenos Aires. Inclusive fica bem pertinho da Casa Carlos Gardel, onde hoje funciona um museu. O clima é bem retrô e tudo bem fino, então recomendamos ir com sua melhor roupa da mala – apesar de sempre rolar uma galera quebrando o protocolo, indo até de bermuda.

Uma geral do Esquina, vista do palco
 
A estátua do artista de tango mais famoso do país em frente ao Esquina já indica que estamos no lugar certo. Antes do show, é servido o jantar (20h30) que pode ser o Normal ou o VIP. Ambos incluem uma entrada, um prato e sobremesa, além de água, refrigerante ou vinho tinto ou branco liberados. A diferença básica fica por conta do vinho: San Felipe para o menu normal e Rutini para o menu VIP. Os pratos podem ser conferidos no site da casa. Os pacotes, que incluem jantar, show e uma van que te busca no hotel e te leva de volta custam US$140 (Normal) e US$280 (VIP) – preços de Janeiro 2014. Se puder, tente marcar com antecedência e reservar um lugar no 2º andar: é a melhor vista do show.

Minha opção de jantar foi o típico chorizo argentino...


 
Então, exatamente 22h30, começa o show de tango. Eu não tinha muitas expectativas do show, dança não é muito minha praia, mas acabei me surpreendendo. Enquanto os casais dançavam espalhados no palco, a banda tocava lá no alto, pra todo mundo ver, dando a impressão que banda e dançarinos eram um só. Não dá pra dizer que foi uma apresentação de tango, foi mesmo um show, no melhor sentido da palavra. O que imaginava ser uma experiência que eu "ticaria" da minha listinha, passou a ser um programa que facilmente faria de novo, se voltasse para Buenos Aires. Se você curte dança e musicais, você vai amar. Se não curte, vai se surpreender. Não vou dar muitos detalhes do show, apareçam lá e comprovem!

Começa o show com os dançarinos no palco e a banda lá no alto

São diversas cenas, contando várias histórias

No descanso da banda, uma ótima cantora animou o público

Todos os dançarinos que participaram do show!
 
O show termina meia-noite, quando a mesma van que nos buscou no Loi Suites Arenales nos levou de volta, sãos e salvos. A noite valeu muito a pena. Se criaram a expressão "ir a Roma e não ver o Papa", eu digo "ir a Buenos Aires e não ver um show de tango".

Como os shows são pela noite, mais uma vez recomendamos o taxi. Ainda mais por que, depois de umas e outras de vinho, parece ser a melhor opção mesmo hehehe... Não há estações de metrô por perto da casa.


No próximo post, vamos conhecer um bairro bem diferente em Buenos Aires.

Partiu!