quarta-feira, 18 de junho de 2014

Salvador: Informações Básicas

E ai galera!

Depois da nossa série sobre Buenos Aires, voltamos para terras tupiniquins, mais precisamente pra onde o Brasil começou. Em 2011, tive a experiência de ter que deixar o Rio de Janeiro para morar em outra cidade brasileira, em outra região. Mesmo se tratando de cidades com climas, belezas naturais e praias abundantes similares, nunca é fácil sair da zona de conforto, de sua cidade natal, sem prazo para voltar. No final das contas, foram "apenas" três meses, mas podemos dizer que o desafio de trocar o Rio por uma cidade linda e acolhedora como Salvador foi muito mais fácil do que imaginava.

 Farol da Barra, um dos símbolos da cidade.


Salvador foi fundada em 1549 e, como sabemos desde as primeiras aulas de História no colégio, foi a primeira capital do país. É a maior e mais populosa cidade do Nordeste do Brasil, com 2,8 milhões de habitantes. Salvador é a cidade com maior população negra do mundo, fora da África, reflexo de sua colonização nos tempos do Brasil Colônia. Se não bastassem as belezas naturais de suas praias, a cidade ainda tem muita história e muita cultura pra mostrar aos seus visitantes.

O clima é esse o tempo todo, como não se apaixonar?

Chegar em Salvador não é nenhum problema. GOL, TAM, Azul e Avianca possuem voos diários pra lá, é só ficar esperto pra alguma promoção ou usar nossa ferramenta do Mundi aqui na direita do blog para pesquisar em todas as companhias aéreas pelo menor preço! O Aeroporto Internacional de Salvador – Deputado Luís Eduardo Magalhães fica a uns 20 km da cidade pela Avenida Paralela (ou Luis Viana), dependendo do bairro aonde você irá se instalar. Se for ficar em algum hotel, sempre bom dar uma ligada antes para perguntar sobre o transfer (alguns até oferecem sem cobrar nada). O táxi para o bairro da Pituba, por exemplo, sai por uns R$60, a depender do trânsito (que pode ser péssimo em alguns momentos do dia).

Mercado Modelo visto do Pelourinho

Quanto à estadia, os bairros da Pituba, Imbuí, Stella Maris e Caminho das Árvores são considerados mais nobres (e mais seguros) e são os mais procurados. Hospedar-se nas proximidades de Rio Vermelho pode ser uma boa também. É o bairro dos bares, da boemia soteropolitana. Se a viagem for pra curtir o universalmente famoso Carnaval de Salvador, hospedar-se na Barra ou em Ondina é uma boa pedida, pois é onde passa o circuito Barra-Ondina de trios elétricos. Há também hospedagens mais baratas no Pelourinho. O bairro de Itapuã, onde Vinícius de Moraes passava suas tardes, também é uma ótima pedida, apesar de ser mais afastado da região central. Vale uma estudada rápida na localização dos bairros antes da viagem.

                                                 
O clima de Salvador não foge do resto do litoral nordestino do Brasil: calor o ano todo, com uma maior incidência de chuvas durante o verão, no meio do ano. Raramente lancei mão de uma jaqueta que fosse, mesmo pela noite, mas vale a pena levar um casaco mais leve na mala, apenas por segurança. No mais: roupas leves, boné/chapéu e protetor solar para os dias mais quentes são figurinhas carimbadas na mala de quem vai visitar a cidade.

A oportunidade de morar na capital baiana me deu a chance de desenvolver uma visão da cidade um pouco além do que o turista vê. A minha conclusão é de que Salvador, mesmo com seus problemas inerentes de uma grande metrópole, é uma cidade naturalmente cativante. O povo tem mesmo aquela alegria toda que ouvimos dizer: qualquer coisa é motivo de festa, cerveja, axé (pode ser um “problema” pra quem não curte/suporta, pois toca o dia todo em todo lugar) e acarajé – e você está sempre convidado. As praias são belíssimas, a cidade transborda cultura portuguesa do período colonial e, claro, cultura afro. Ah, claro, come-se absurdamente bem (em fartura e em sabor) por lá, vamos falar disso em um post futuro.

As delícias de Salvador: não há dieta que resista.

Claro que tudo é questão de gosto, mas é difícil não se encantar com o clima e a energia da cidade. Se esse mundo de opções em Salvador não for suficiente pra você, sempre haverá a opção de conhecer a linda Morro de São Paulo, que já postamos por aqui. Se tiver mais tempo – e disposição – a Chapada Diamantina fica a aproximadamente 6 horas de viagem da capital. A Bahia é cheia de opções!

Grazi e a famosa Igreja do Senhor do Bonfim...

Osh! Venha com a gente nesse destino arretado e acompanhe os próximos posts com o melhor do que vimos na capital baiana!

Partiu!