terça-feira, 16 de setembro de 2014

Assunção: Informações Básicas

E aí galera!

Nosso blog deixa terras brasileiras rumo ao Paraguai! Sim, eu sei, passaram na sua cabeça imagens de muambas, Ponte da Amizade, eletrônicos vagabundos e whisky falsificado. Não vamos mentir, nas nossas cabeças também. Passavam. Um dos principais objetivos de conhecermos a capital Assunção era justamente desmitificar essa imagem de que o caos das compras de Ciudad del Este - aquela cidade perto da fronteira do Brasil em Foz do Iguaçu - representa o turismo no país. E conseguimos!
  
O Paraguai surpreendeu!

Antes de entrarmos em detalhes do que vivenciamos na capital paraguaia, vamos passar neste post algumas dicas do país, baseado no que passamos por lá e no planejamento da viagem. Vamos lá:

Paraguai

A República do Paraguai possui população de aproximadamente 6,7 milhões (a cidade do Rio de Janeiro tem 6,4 milhões), sendo quase um terço disso (2,5) situada apenas em sua capital Assunção e regiões metropolitanas. Sua densidade demográfica é uma das menores do continente, muito devido à Guerra do Paraguai (1864-1870), quando entre 60-70% de sua população foi dizimada pela Tríplice Aliança formada entre Brasil, Argentina e Uruguai, no que considero uma das maiores covardias bélicas da História. A guerra também travou o desenvolvimento do país, que acabou ficando pra trás em relação aos vizinhos, mas que nos últimos anos tem apresentado crescimentos econômicos bem acima da média mundial, o que está se refletindo em sua capital. Por isso, viajando para Assunção, não espere uma estrutura de Buenos Aires. Mas também não espere por uma cidade do interior da Bolívia.

Documentação

Apesar do Paraguai não pertencer mais ao Mercosul, brasileiros conseguem entrar no país apenas portando o documento de identidade. Nessa linha, claro, não há necessidade de visto antecipado. Particularmente, curto levar o passaporte de qualquer forma, para ter o visto carimbado como registro da viagem (quem não curte?).

Mais um carimbo no passaporte!

Vacinas, como a de febre amarela, não são obrigatórias, mas recomendamos - a dose dura 10 anos e vale pra um monte de países os quais você pode viajar mais tarde, principalmente do Caribe.

Idioma

O Paraguai possui duas línguas oficiais: o espanhol, falado por maior parte da população, e o guarani, língua de origem indígena. A boa notícia é que todos falam espanhol. A má é que muitas palavras e expressões em guarani acabam entrando no meio das frases, o que complica um bocado, mesmo para o viajante familiarizado com o espanhol, mas nada que te impeça de entender as pessoas.

Moeda

A moeda oficial do Paraguai é o guarani. Se seu sonho é ser milionário, o Paraguai pode ser sua chance: R$1 vale aproximadamente G$1890 (cotação de setembro/2014). O excesso de zeros enrola um pouco durante as compras, fatalmente você vai usar uma nota de 10.000 achando que é de 100.000. Ter uma calculadora à mão sempre ajuda, mas aos poucos você pega o jeito de converter de cabeça.

Cédula de G$100.000. Haja zeros! Foto: Portal Guarani

Existem casas de câmbio espalhadas por toda Assunção, encontrá-las não será problema. Evite de trocar muitos guaranis no aeroporto: normalmente eles têm uma cotação pior. Troque o necessário para pegar seu taxi e fazer um lanche; depois procure uma casa de câmbio da cidade e troque o resto que precisar.

Clima

O Paraguai, juntamente com a Bolívia, é um dos países da América do Sul sem saída para o mar. A única fonte de umidade para Assunção é o Rio Paraguai, o que torna a cidade bem seca (ou com baixa umidade relativa). Dessa forma, as temperaturas raramente estão amenas: ou muito quentes, passando de 40ºC em algumas épocas do ano, ou muito frias, se aproximando de 0ºC, como no inverno.

Para quem curte viajar com uma mochila nas costas, o calor pode tornar as caminhadas bem desconfortáveis e desgastantes. Tenha sempre à mão: boné/chapéu, filtro solar, óculos escuros e alguma hidratação - aproveite que os mercadinhos e farmácias são super baratos e beba muita água.

Aproveite o calor para experimentar o Pulp, refrigerante local.

Como ligar

Se mesmo com as nossas dicas você ainda tiver alguma dúvida para tirar e quiser fazer isso diretamente com seu hotel ou destino, a forma de se ligar para Assunção é:

00 + operadora + 595 (Paraguai) + 21 (Assunção) + número (6 dígitos)

Segurança

Sabíamos que estávamos indo para um dos mais pobres países do continente e por isso fomos com um pé atrás nesse quesito. A verdade dos fatos é que em poucos países eu me senti tão seguro pra andar na rua, mesmo de noite.

Praticamente todos os estabelecimentos possuem segurança própria, o que até incomoda em algumas lojas e shoppings. Fora isso, não é raro ver policiais fortemente armados fazendo segurança pública, principalmente próximo de prédios e monumentos públicos. A cidade também possui baixíssima densidade demográfica, o que ajuda. No final das contas, tomadas as ações preventivas mínimas para sua segurança, que você deve tomar em qualquer lugar do mundo, Assunção é uma cidade muito tranquila.

Tomada

As tomadas no país são do tipo C (dois pinos arredondados), o que costumava ter no Brasil até inventarem esse padrão tosco de 3 pinos. Então não tivemos muitos problemas para carregar celulares e câmeras, mas vale conferir antes da viagem se não vale a pena levar um adaptador.

Tomada do Tipo C, usada no Paraguai. Foto: UOL Viagem

Transporte

O tempo é valioso durante as viagens, então, quando é barato, damos sempre prioridade pros táxis. Em Assunção, os carros vão desde Monzas (sim, ainda existem) barulhentos até Corollas novinhos em folha, tem de tudo. Corridas mais longas (como do Centro até o bairro de Carmelitas) não saem por mais de G$50.000 (ou R$20), no fim vale super a pena.

Se ainda sim sua opção for utilizar os ônibus, espere por veículos do tempo da vovó, completamente fora de padrão e, algumas vezes, bem cheios. Acho uma economia desnecessária pra quem pode pegar taxi, que é bem barato. Mas se você não puder, boa sorte com os busões!

Taxi ou Transfer?

Ainda sem noção dos preços dos transportes no país, fechamos um Transfer com nosso hotel, situado no Centro, do aeroporto Silvio Pettirossi para lá por G$120.000 (algo próximo de R$60). De início, achei o preço justo, pois o aeroporto fica em Luque, cidade vizinha à Assunção. Já para irmos ao aeroporto, no final da viagem, já safos com os valores, pagamos um preço fechado com um taxi de rua por G$90.000, que achamos bem mais justo. Não estamos condenando o Transfer, mas negocie sempre com seu hotel o menor preço.

Aeroporto Silvio Pettirossi: pequeno mas bem arrumado

Ufa! Post longo, mas acho que deu pra situarmos você, viajante. No próximo post, vamos compartilhar um roteiro com o que de melhor fizemos por lá. Quantos dias são suficientes? Há outras cidades ao redor para se visitar? Fiquem ligados!


Partiu!