domingo, 12 de outubro de 2014

Assunção: Defensores del Chaco

E aí galera!

Como não podia deixar de ser, aproveitamos nossa visita à Assunção para conhecer mais sobre o futebol local. Já tínhamos aprendido muita coisa no Museu do Futebol Sul-americano, em Luque. O Paraguai já participou de sete Copas do Mundo e freqüentemente tem jogadores de seu país jogando na Europa e em gramados brasileiros. Além disso, não é raro cruzarmos com times do país na Copa Libertadores (o país possui três títulos da competição, além de um Mundial de Clubes), quando costumeiramente mandam seus jogos no maior estádio do Paraguai: o famoso Estádio Defensores de Chaco.

 A casa do futebol paraguaio: o Defensores del Chaco

Com capacidade para mais de 40.000 pessoas, o Defensores de Chaco fica no bairro residencial de Sajonia e é de administração da APF, a Associação Paraguaia de Futebol, a CBF deles. A seleção nacional manda todos os seus jogos lá. Quando há alguma partida nacional ou internacional importante entre clubes, o estádio também é utilizado pela sua maior estrutura em relação aos estádios dos clubes locais.

Apesar de bem antigo, o estádio está sempre sendo reformado.

Nossos objetivos no Defensores del Chaco eram dois: (1) visitar o Museu do Futebol Paraguaio, que fica no inteiror do estádio, e, se possível, entrar no gramado para tirar uma fotos e (2) assistir a um jogo do campeonato local. Felizmente deu tudo mais certo que esperávamos.

Estátua de Arsenio Erico, dito o maior jogador do país

O Museu do Futebol Paraguaio

Quanto ao museu, sua entrada fica na esquina entre as ruas My. José de Jesús Martínez e Antonio Ruiz de Arellano. A entrada é gratuita e funciona de segunda a sexta, das 8h-16h. Não se compara ao Museu do Futebol Sul-americano, claro, mas vale a visita para relembrar clássicos jogadores como Chique Arce, Carlos Gamarra, Gato Fernandez, Romerito e o fanfarrão goleiro artilheiro José Chilavert. O museu é uma sala com vários painéis e alguns troféus, legal pra quem curte futebol. A visita ao campo é feita pela entrada do estádio na rua Antonio Ruiz de Arellano, onde fomos muito bem recebidos por um funcionário do estádio. Entramos pelo mesmo túnel de onde saem os jogadores, bem legal. O estádio estava recém-reformado, então nos surpreendemos com a qualidade do gramado e das cadeiras, tudo pintadinho e limpo, muito show.

Entrando no gramado pelo túnel dos jogadores...

...e finalmente no gramado. Lindo!

Já para assistir ao jogo, não foi fácil. Primeiro por que o site oficial da APF não atualiza a desgraça da tabela de jogos. Viajamos sabendo que haveria um Libertad x Olímpia no final de semana, um clássico local, mas sem certeza do horário e do local do jogo, previamente marcado para o estádio do Libertad. Só tivemos confirmação quando fomos informados por um funcionário do estádio e confirmamos através das redes sociais dos clubes envolvidos, respondidos por torcedores. A venda de ingressos no estádio só começa a 4 horas do início da partida, mas conseguimos comprar pela manhã, no Club Olímpia. Os preços variam entre G$30.000 e G$80.000, dependendo do setor. Obviamente, o setor mais barato é onde ficam as hinchadas (ou torcidas organizadas) das equipes, atrás dos gols.

No dia do jogo, chegamos com duas horas de antecedência, tudo muito tranquilo. É proibida a venda de bebidas alcoólicas dentro e nos arredores do estádio. Não esperem um estádio Padrão FIFA, claro, mas achamos tudo bem conservado pra um estádio tão antigo. Pegamos uma baita chuva no dia, mas nada que estragasse o passeio - com ajuda das capas de chuva que os vendedores de rua negociavam por G$10.000 cada. Até tivemos a façanha de aparecermos no telão do estádio, para nosso delírio e, a mesmo tempo, para estranheza dos demais torcedores paraguaios, que não entendiam bem aqueles brasileiros encharcados chorando de rir.

Nem a chuva esfriou o jogo

Os caras não param!!!

A partida acabou com vitória do Libertad por 3x1, mas o que impressionou mesmo foi a barra brava do Olímpia, a La Banda del Olímpia, que cantaram sem parar do início ao fim do jogo, incrível. Valeu demais o passeio e, pra quem nunca foi num estádio no exterior, vale a experiência.


O nosso tour futebolístico por Assunção não terminou no Defensores. No próximo post, vamos começar a explorar quatro dos maiores times do país - que possuem seus próprios estádios. Fiquem ligados!

Partiu!