quinta-feira, 12 de maio de 2016

Recife: Estádio do Arruda

E ai galera!

Nesse último post sobre os estádios que conheci em Recife, vou mostrar como foi a experiência no maior deles. Nem mesmo a Arena Pernambuco e a Ilha do Retiro possuem capacidade maior do que a casa do Santa Cruz Futebol Clube: o Estádio José do Rego Maciel, mais conhecido como Estádio do Arruda.

 Cheguei na casa do Santinha: o Mundão do Arruda!

Vou falar um pouco do estádio e da minha experiência assistindo à uma partida do Santinha por lá. Vamos?


O estádio

O maior estádio de Pernambuco pertence ao Santa Cruz, equipe com a segunda maior torcida do estado. Se não são maioria por lá, eu diria que, de longe, são os mais fanáticos e apaixonados. O clube chegou a disputar a Série D em 2010 e 2011 e, mesmo assim, foi o recordista de público em todas as divisões do Brasileirão. É normal que a fanática torcida coral (denominada assim pela semelhança das cores do clube com a cobra) figure entre os maiores públicos juntamente com equipes de torcida gigante como Flamengo e Corinthians. O Santinha disputará a Série A em 2016, após se sagrar campeão da Copa do Nordeste e Pernambucano no primeiro semestre. Logo, esperem por mais grande públicos no Arruda.

A tradicional pintura das arquibancadas do Arruda.

Falando do estádio: o Mundão do Arruda, ou Colosso do Arruda, ou simplesmente o Arruda, hoje, tem capacidade para pouco mais de 64 mil torcedores. O recorde de público é de quase 97 mil pessoas num Brasil 6x0 Bolívia pelas Eliminatórias da Copa de 94. Inaugurado em 1972 (Santa Cruz 0x0 Flamengo), está localizado no bairro de mesmo nome do estádio, na esquina das avenidas Beberibe e Prof. José dos Anjos. O complexo do estádio ainda abriga dois campos de futebol society, o Museu Histórico Coral, um ginásio poliesportivo, um parque aquático, entre outras instalações do clube.

Pra quem quiser mais detalhes sobre a história do Arruda, recomendo fortemente este artigo do site CoralNET, com fotos históricas incríveis!


Como arrumar ingressos?

O Arruda é basicamente dividido em sete setores, sendo três com venda aberta ao público: as arquibancadas superior e inferior (com capacidades, respectivamente, para 23401 e 22541 torcedores), além das sociais (7226 torcedores). As cadeiras cativas, camarotes e tribunas de honra e do conselho complementam a capacidade total do estádio.

Mapa de setores utilizado em shows no estádio. Foto: Diário de Pernambuco.

A melhor forma de ficar ligado na venda de ingressos é acessando o site oficial do Santa Cruz. Como dono e único mandante do estádio, é raro que outras equipes mandem seus jogos por lá.


Como chegar?

O Arruda fica a aproximadamente 10km da praia de Boa Viagem, onde a maioria dos hotéis da cidade estão. Por estar localizado entre duas grandes avenidas, chegar no Arruda de ônibus é uma opção bem simples. Para procurar as linhas, confira o site da concessionária Grande Recife. O metrô não atende a região do estádio.


A experiência

Minha visita foi num jogo pela Copa do Brasil de 2014: Santa Cruz x Santa Rita-AL. Seguindo minha fama de pé frio dos times locais dos estádios que visito, o jogo acabou 1x1 e a equipe alagoana acabou se classificando de forma surpreendente pras oitavas-de-final, onde seria eliminada pelo Cruzeiro. Como o cabeçudo aqui se atrasou, acabei indo de táxi e cheguei bem rápido. O estádio estava até com um bom público pro jogo que era (deu 10 mil pessoas) e tive que comprar o ingresso na hora e peguei uma fila boa, mas que andou rápido.

Tanto do lado de fora quanto lá dentro, achei tudo muito escuro. O caminho pras arquibancadas parecia um calabouço, nem parecia que o estádio havia sido reformado em 2009. Esse jogo foi pouco depois de um triste episódio, quando um torcedor do rival Sport foi morto, pasmem, atingido por um vaso sanitário arrancado de um dos banheiros do estádio. Então imaginem o nível de manutenção, né? Curto demais os estádios mais tradicionais do Brasil, mas infelizmente a maioria deles é muito mal cuidada. Fui de arquibancada inferior e curti demais: clima pacífico, muitas famílias e ótima visão do campo. E com o costumeiro show da torcida coral.

Tanto na área externa quanto na interna, muita pouca luz.

Assim como na Ilha do Retiro, as opções de alimentação são limitadas em salgadinhos, amendoim ou os espetinhos da morte. Dessa vez resolvi não arriscar e fiz um lanche antes de ir pro jogo. Na época, ainda não era permitida a venda de cerveja nos estádios, hoje eu imagino que já seja liberado. No final da noite, valeu a pena conhecer esse clássico estádio brasileiro e a torcida do Santinha, que com certeza voltará a lotar o Arruda na Série A deste ano.





Ficou faltando eu conhecer o Estádio dos Aflitos, casa do Náutico. Fica pra uma outra oportunidade. E assim terminou meu tour pelos estádios de Recife, uma cidade que preza pelos seus clubes locais e que, de alguma forma, segurou o avanço das torcidas dos clubes do Sudeste. Mas o passeio pela capital de Pernambuco ainda não acabou. Fizemos um monte de coisas né? Fatalmente bate aquela fome e... Onde comer?

Dicas no próximo post!

Partiu!