terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Viena: Palácio Belvedere

E aí, galera!

No nosso último post, mostramos o lindo Palácio Schönbrunn e seus jardins, fontes e atrações, que fazem de lá um dos pontos mais visitados de Viena e um símbolo da cidade. Mas o Palácio Schönbrunn não é o único palácio de destaque na cidade. Conheça o Schloss Belvedere, ou o Palácio Belvedere.

Oberes (ou Alto) Belvedere.

Como quase tudo em Viena, o Belvedere também tem uma história por trás de seus palácios e jardins. Senta que lá vem história!

História

Assim como Schönbrunn, Belvedere também foi construído para ser uma casa de veraneio, no caso do príncipe Eugênio de Saboia, que, apesar de francês de nascimento, viveu a maior parte de sua vida em Viena, a serviço dos Habsburgo, família que governou a Áustria por muito tempo.

Belvedere é reconhecidamente um dos palácios de estilo barroco mais bonitos do mundo. Basicamente, o complexo é composto por dois palácios principais, separados por um enorme e lindo jardim: o Unteres Belvedere (Baixo Belvedere) e o Oberes Belvedere (Alto Belvedere). O primeiro era, de fato, a moradia real, com seus quartos e salões. O segundo, mais utilizado para grandes eventos, foi nada menos que o local de assinatura do tratado que formou a República da Áustria como conhecemos hoje.

 Os jardins e, ao fundo, Unteres Belvedere.

Entretanto, a propriedade acabou sendo vendida para Maria Teresa (a mesma de Schönbrunn), que foi quem batizou o local como Belvedere (em italiano, Bela Vista). Bom, ela tinha razão!

Encontre o melhor preço de hospedagem em Viena no Booking.com, clicando nesse link. Você economiza e, de quebra, ainda ajuda o blog!


O que tem por lá?

Apesar dos lindos palácios e jardins, grande parte da beleza do Belvedere está dentro de suas construções: um verdadeiro tsunami de exposições de arte de todo tipo, desde estátuas até pinturas. E, claro, a própria arquitetura interna dos palácios é maravilhosa. Podemos citar:

  • Coleção de Gustav Klimt: No Alto Belvedere, está localizada a maior coleção no mundo do artista Gustav Klimt, um famoso pintor austríaco conhecido principalmente por sua obra O beijo, de 1908. Aliás, suas obras quase sempre incluíam elementos eróticos ou sensuais, o que o tornou alvo de muitas críticas na época.

Os fundos do Alto Belvedere
  • Orangery Garden: Assim como em Schönbrunn, o Belvedere também tem seu próprio jardim de laranjeiras. Por serem árvores muito sensíveis ao frio, eram mantidas em pequenos edifícios que atuavam como estufas. Mas claro, eram construídas com aquele estilo barroco da época.
  • Estábulos do Palácio: Como o nome sugere, é o prédio onde viviam os cavalos da família real. Entretanto, hoje o prédio abriga uma enorme coleção de artigos de arte, a maioria deles de cunho religioso.

O Estábulo do Palácio: até lá virou museu! Foto: Mademoiselle Voyage.

  • Spitzhof: Esta parte do Baixo Belvedere, que hoje abriga mais uma mostra de arte, era um pequeno estábulo onde os cavalos reais recebiam suas ferraduras. Parte dessa instalação foi mantida como antigamente.
  • Atelier Hebert Boeckl: Hebert Boeckl foi um pintor expressionista austríaco de muito sucesso em toda Europa - tanto que uma das atrações do Belvedere leva seu nome e apresenta sua vida e seu trabalho. Além de artista, foi coronel na Primeira Guerra Mundial.
  • Jardins de Belvedere: além das estátuas, o próprio jardim é uma obra de arte. A diversidade de cores e a perfeição dos desenhos é incrível!

Os jardins do Belvedere são uma obra de arte

Arte não é muito minha praia, e também cheguei no Belvedere já no final do dia, então não cheguei a comprar ingresso para visitar as galerias e os palácios. Mas depois, vendo fotos do interior dos mesmos, me arrependi: pelo menos os palácios eu deveria ter entrado. Bom, fica pra próxima!


Como visitar

O Alto e o Baixo Belvedere's, e o Orangery Garden, funcionam diariamente, das 10h até as 18h. Entretanto, nas quartas-feiras, o Baixo Belvedere fica aberto até as 21h. Os estábulos do Palácio, o Palácio de Inverno e o 21er Haus (estes dois anexos ao complexo) também tem seus próprios horários de funcionamento, que podem ser conferidos no site oficial do Belvedere.

As entradas podem ser compradas online ou no local.

Mesmo que não curta galerias de arte, visitar o Belvedere vale a pena!


Como chegar

As estações de metrô mais próximas são a Taubstummengasse (linha U1), Karlsplatz (U1/U2/U4) e Stadtpark (U4), mas em todas elas você precisará caminhar um pouco, nada demais. Se tiver dúvidas de como usar o metrô de Viena, confira nosso post sobre o assunto. Várias estações de bonde (tram) estão ao longo do perímetro do complexo Belvedere: Gusshausstrasse, Plösslgasse, Quartier Belvedere, Fasangasse, Am Heumarkt e Unteres Belvedere. Pra quem preferir uma caminhada, Belvedere fica a aproximadamente 2 km da Ópera de Viena, nenhum absurdo pra se andar, ainda mais se o clima estiver mais ameno.


Continuem acompanhando a gente! Nos próximos dois posts, vou mostrar uma série de atrações de Viena que visitei no pouco tempo que tive, mas que são pontos de interesse na cidade. Pois é, mesmo um pouco corrido, é tanta coisa que tive que dividir em dois textos!

Confira algumas fotos da nossa viagem: sigam nosso Instagram e também nosso Twitter e busquem pela hashtag #CheckInEmViena! Estão curtindo a série de posts? Comenta ai!

Partiu!