quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Viena: Wiener Staatsoper, a Ópera de Viena

E aí galera!

Nosso último post, sobre a Kärntner Strasse, mostrou QUASE tudo sobre a rua mais agitada de Viena. Começamos desde a Stephansplatz, onde fica a Stephansdom, a Catedral de Viena, mostramos suas opções de diversão, compras e alimentação, mas deixamos o que talvez seja o programa mais imperdível da cidade pra esse post. Afinal, numa cidade que respira música clássica, a Wiener Staatsoper, ou a Ópera de Viena, merece um post só pra ela!

 Com vocês, a Ópera de Viena!

História

A Wiener Staatsoper começou a ser construída em 1861, com o objetivo de ser a primeira casa de ópera da capital austríaca, sendo inaugurada em 1869. Hoje, ela ainda abriga a Filarmônica de Viena, que produz cerca de 50 espetáculos por ano! Ela se localiza na Opernring 2 (sim, pertíssimo do Das Opernring Hotel, onde me hospedei), coladinha com a estação de metrô Karlsplatz (confira esse post e saiba como utilizar o metrô vienense).

O primeiro espetáculo da Ópera de Viena foi justamente do maior músico clássico da Áustria e um dos principais nomes do gênero no mundo: Wolfgang Amadeus Mozart (na época já falecido), com a ópera Don Giovanni, de 1787. Durante a II Guerra Mundial, o prédio sofreu um ataque mas acabou reconstruído para sua arquitetura original e reinaugurado com o espetáculo de mais uma lenda da música clássica: Ludwig Van Beethoven (que apesar de alemão, viveu e morreu em Viena), com a ópera Fidelio.

O prédio da Wiener Staatsoper é lindo!

Apesar de um estilo musical de origem italiana, a cidade de Viena respira ópera. E está longe de ser um programa para turistas: diferentemente do que notamos quando assistimos a um show de tango em Buenos Aires, onde a maioria da platéia era composta de estrangeiros, em Viena, grande parte dos presentes no espetáculo que presenciei se tratava de famílias locais. Ou seja: era uma típica noite de ópera vienesa!

Ah, quer saber como se vestir para uma noite de ópera em Viena? A Letícia, do sensacional Viva Viena, escreveu um post só sobre isso e pode falar melhor sobre o assunto do que eu. Confira AQUI.

 As calçadas de Viena são repletas de grandes nomes da música clássica.

Encontre o melhor preço de hospedagem em Viena no Booking.com, clicando nesse link. Você economiza e, de quebra, ainda ajuda o blog!

Como comprar

Primeiramente, sua missão é escolher o que quer assistir. Para isso, confira o calendário no site da Wiener Staatsoper. Há apresentações de matinê (mais cedo), balé e, claro, óperas. Escolhido o espetáculo, os ingressos podem ser adquiridos pelo próprio site, com vendedores de rua (estão aos montes, vestidos à caráter nos arredores da Ópera de Viena) ou na bilheteria que se encontra no próprio prédio.

Os preços dependem da sua localização, podendo variar de pouco mais de EUR 10 até EUR 200. Eu não tinha muita certeza se iria curtir a ópera (que dura mais ou menos 1h30), então fiquei bem inclinado a comprar o ingresso mais barato que conseguisse.

Os lugares na Ópera: a "geral" é chamada de Stehplatz.

Lembram da antiga "geral" do Maracanã? Era aquele setor popular, onde o torcedor pagava algo em torno de R$1 e assistia ao jogo de pé. Pois é, a Wiener Staatsoper também tem a sua "geral" (meu Deus, esculhambei a Ópera de Viena) chamada Stehplatz (são os lugares mais ao fundo, veja no mapa). Por uma bagatela de EUR 3, você pode passar pela experiência de conhecer a Ópera de Viena! São ingressos limitados, que começam a ser vendidos uma hora e meia antes do espetáculo, no guichê localizado na Operngrasse. Aconselho chegar na fila, por garantia, duas horas antes do espetáculo: eles se esgotam rapidamente e os lugares não são marcados: quem chegar primeiro, senta melhor! O guichê fica dentro do prédio, e o acesso é uma porta simples. Foi tudo bem rápido.

Se três euros ainda forem demais e sua vontade de ver como é uma ópera não for tão grande assim, em alguns meses do ano, a Wiener Staatsoper instala um telão virado para a Karntner Strasse e transmite o espetáculo ao vivo! Cheguei a ver o telão e já tinha bastante gente esperando o início do show.

Ópera para todos!

Peguei a fila, comprei meu ingresso e já entrei no prédio! Mas ainda faltavam uma hora e meia pro espetáculo, eu não poderia voltar para o hotel e descansar, ou comer alguma coisa? Poderia, mas antes eu tinha que marcar meu lugar...

Marcando seu lugar

Foi bem curioso. Saí do meu curso direto pra fila. Agora lá estava eu, brasileirão, com meu terno esperto, mochila nas costas e, por sorte e por causa do frio, com meu cachecol (que era do Flamengo, mas isso não vem ao caso), dentro da Ópera de Viena. Segui o fluxo após comprar meu ingresso, subi alguns lances de escada, já encantado pela beleza do prédio, que parecia um verdadeiro palácio. Então cheguei na "geral" da Ópera: duas fileiras onde os espectadores assistiriam ao espetáculo de pé. Sem cadeira nem nada: só o corrimão com a tela de tradução e só. Como eu marcaria meu lugar?

 Marcando meu lugar com o cachecol...

Lembram do cachecol? Pois é, era com ele que eu marcaria meu lugar: educadamente, as pessoas amarravam seus cachecóis no corrimão. Com a maior naturalidade do mundo, simplesmente abandonavam as peças por lá e iam fazer outra coisa até a hora do espetáculo. E eu, esquecendo que estava em Viena, preocupadíssimo com a integridade do meu cachecol, que obviamente estava lá quando eu voltei, intocável. Conversando com as pessoas por lá, me disseram que é uma tradição. Sendo assim, faça chuva ou faça sol, leve o seu cachecol! Fui instruído a voltar pelo menos 20 minutos antes do espetáculo começar. Aproveitei o tempo, voltei pro hotel, descansei um pouco e tirei muitas fotos do prédio por dentro.

O interior da Ópera de Viena...

...que, claro, oferece uma cafeteria para a platéia.

A ópera

As fotos não são permitidas, mesmo sem flash, durante o espetáculo. Olha, pra quem achava que não ficaria o tempo todo por não curtir muito música clássica, saí maravilhado do espetáculo La Cenerentola, do italiano Gioachino Rossini, que foi uma ópera bufa (com um perfil de comédia) baseada no conto de Cinderela, mas num cenário de uma típica família italiana. Foi divertidíssimo, uma experiência única, fiquei até o último segundo! Recomendo pra todo mundo. Visitar Viena e não ir para a Ópera deixará sua viagem incompleta, com toda certeza!

A vista do meu lugar.


No próximo post, mais de Viena! Vamos sair do centro de Viena e visitar um outro cartão postal da cidade que é simplesmente imperdível! Fiquem com a gente!

Se quiserem conferir algumas fotos da nossa viagem, sigam nosso Instagram e também nosso Twitter e busquem pela hashtag #CheckInEmViena! Estão curtindo a série de posts? Comenta ai!

Partiu!